A primeira coisa que fazemos assim que nascemos, antes mesmo de mamar, é respirar. É nosso primeiro impulso de vida, garantindo nossa existência neste planeta. Depois da primeira inspiração, não pararemos este processo até nossa última expiração. Mesmo essa função estando presente em todos os nossos dias, será que sabemos da importância dela para manutenção da nossa vida e equilíbrio emocional? Já parou para pensar que podemos ficar dias sem água e comida, mas não mais que alguns minutos sem respirar? Se você ainda não notou, peço que apenas pare alguns segundos e tome consciência do quão importante é respirar.

Esse processo vai além de apenas inspirar e expirar. Todo o nosso corpo respira e, a partir do oxigênio que entra, obtemos a energia que precisamos para viver. A nossa qualidade de vida depende diretamente da forma como respiramos. Acho que você, como eu, nunca pensou isso quando estava estudando o processo de respiração na escola… Lembro de apenas decorar cada fase do processo sem me atentar ao fato de que toda a energia do meu corpo está ligada a quantidade e qualidade de ar que respiro. Yogues e meditadores já falam isso há tanto tempo e ainda assim insistimos em não dar a importância devida a nossa principal fonte de energia.

Junto com a respiração vem o pulsar da vida. Cada vez que inspiramos, organizamos fisiologicamente nossas emoções, parte da memória, as batidas do coração, o aparelho digestivo, temperatura do corpo e outras funções fisiológicas. E quando expiramos, deixamos ir tudo o que está em excesso, inadequado, não nos serve mais e relaxamos. Nosso nariz tem ligação direta com o sistema límbico, a parte do nosso cérebro que controla as emoções, reações instintivas, parte do aprendizado e memória, regula o sono, batimentos cardíacos, sensação de perigo, medo e ansiedade, além de regular parte do fluxo sanguíneo, temperatura corpórea, libido e apetite (Aqui há mais informações). Isso quer dizer que a forma como você respira hoje pode estar influenciando diretamente sua reação emocional e fisiológica a acontecimentos da sua vida. Cientistas já comprovaram isso: respirar pelo nariz ativa emoções que não são ativadas pela respiração pela boca (Leia mais nesse artigo)

Observe a sua respiração agora e perceba quais emoções estão presentes. Se você está calmo e relaxado, sua respiração será tranquila, ampla, com músculos do peito e barriga relaxados na expiração e uma tendência a não ter pausas entre as respirações. Se você está ansioso ou com depressão, sua respiração será rápida e superficial, com a exalação controlada e forçada, gerando hiperventilação no cérebro, aumento dos batimentos cardíacos e a sensação de perigo. Se você está apaixonado, sua respiração é também rápida e superficial, mas num ritmo um pouco mais relaxado que o da ansiedade. Uma respiração mais curta aumenta batimentos cardíacos; uma respiração mais ampla, acalma o coração.

O modo como você respira pode influenciar a forma como você vive e vice-versa. Por ser um processo semi-automático, é passível de controle consciente de parte do processo, em especial da ventilação pulmonar. Isso quer dizer que se vivemos como respiramos, então podemos mudar nossa vida e padrões emocionais alterando a forma como inalamos e exalamos.

Se você quer mudar sua vida, comece tomando consciência e mudando sua respiração. É gratuito, fácil e sem contraindicação. Você pode fazer isso tanto através da meditação, respirando de forma a observar sua respiração e fazendo modificações e experimentando as sensações e emoções que emergem desse exercício. Outra forma é através do renascimento, que modifica de forma consciente o padrão respiratório, liberando traumas que estão bloqueando sua respiração de ser mais ampla e fluida. Aqui, indico dois exercícios simples que podem ser feitos a qualquer momento do dia:

  • 20 CONECTADAS: feche os olhos e relaxe sentado em uma cadeira. Inspire para além da sua zona de conforto (mas sem expandir demais) e expire em seguida. Após a expiração, volte a inspirar novamente. Não há pausas entre a inspiração e a expiração, e vice-versa. Repita isso 4x e, na quinta, inspire e encha os pulmões o máximo que conseguir, expirando logo em seguida. Faça essa sequência (4 inspirações e expirações acima da sua capacidade atual e uma 5a com capacidade total) por mais 3 vezes. Essa técnica é ensinada pela escola internacional de renascimento Bioflow e ajuda a acalmar a mente, relaxar e ter mais atenção e foco.
  • RESPIRAÇÕES NARINAS ALTERNADAS: feche os olhos e relaxe sentado em uma cadeira. Inspire e use seu polegar para fechar a narina direita. Expire pela narina esquerda e volte a inspirar por ela novamente. Agora feche a narina esquerda com o dedo anelar, solte a narina direita e expire. Ao acabar, inspire novamente pela narina direita. Repita o processo desde o início, expirando pela esquerda, inspirando pela esquerda, expirando pela direita, inspirando pela direita por mais 2x. Esse exercício ajuda a acalmar e centrar a mente, além de balancear os dois hemisférios do cérebro. Deve ser feito, no máximo, 2x ao dia. Veja mais sobre ela no site da Arte de Viver.

Sobre o autor Sara Matos

Psicoterapeuta e empreendedora.

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s