Todas as vezes que penso em resiliência, me vem à mente aquela música antiga: “reconhece a queda e não desanima… levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima!”. Quem nunca, certo?! Sempre me perguntei se eu era resiliente, se eu conhecia pessoas verdadeiramente resilientes e, principalmente, como poderia me capacitar para passar por situações que me tiram do meu equilíbrio e voltar ao meu estado natural de ser.

Resiliência é um termo emprestado da Física que vem sendo estudado na psicologia nos últimos 20 ou 30 anos. Na Física, diz que um material é resiliente quando ele, após passar por uma tensão ou ser estressado, volta ao seu estado anterior sem maiores deformações. É a capacidade de acumular energia em sua massa e depois liberá-la para voltar ao seu estado anterior que torna um material mais resiliente que outro. Elástico, vara de salto em altura, molas e outros materiais se encaixam nesse conceito.
Na psicologia, é a capacidade de um indivíduo de lidar com adversidades, superar obstáculos e/ou passar por períodos de stress ou pressão sem entrar em surto psicológico. Ou seja, a resiliência é a capacidade que temos de lidar com os problemas que aparecem sem nos perdermos nas emoções que vão surgindo, sempre voltando a um estado de plenitude e centramento após o momento de tensão.
Eu acredito que todos somos resilientes em maior ou menor grau, afinal se não fosse assim, teríamos nossa habilidade de aprender seriamente comprometida. Aprender algo novo é estressante, pode ser frustrante e desanimador, mas se sabemos lidar com o novo de forma resiliente, continuamos. Tenho sentido que começar uma empresa minha está colocando minha resiliência à prova. Como? As emoções que vem surgindo desde dezembro tem sido intensas e profundas, mas também são ao mesmo tempo enriquecedoras e me levam a um patamar novo de consciência que eu provavelmente não teria se não tivesse começado isso tudo.
No meio da turbulência de pensar na parte prática de se montar um negócio, começam a surgir pensamentos de “será que esse é o melhor momento para isso? não deveria esperar passar a ‘crise’ para começar?”. Dizem que se uma empresa conseguir sobreviver ao seu primeiro ano de vida, ela tem forças para ir além. Eu digo que o empreendedor que supera a barreira do primeiro ano empreendendo sem se abater, tem muito mais chances de ter sucesso em um negócio que qualquer outra pessoa. Para isso, é necessário resiliência.
Primeiro ponto a ser considerado é que, como falei um pouco antes, eu acredito que todo mundo é resiliente. Algumas pessoas voltam mais rápido ao seu estado natural após um período de estresse, outras mais lentamente. Essa velocidade será muito mais influenciada pela forma como você aprendeu a lidar com problemas e pelas suas crenças pessoais do que pelo problema em si.
Segundo ponto é que já se sabe, hoje, que não existe somente um tipo de resiliência. Em pesquisa recente feita nos EUA, foram mapeados três tipos: a resiliência de resistência, onde uma pessoa se mantém em equilíbrio diante de um problema ou situação de tensão; a resiliência de recuperação, na qual uma pessoa recupera seu equilíbrio, voltando ao estado emocional em que ela se encontrava antes do período de tensão ou problema; e a resiliência de reconfiguração, que é aquela que traz mudanças para a vida de uma pessoa após um período de adversidade e normalmente acontece após um evento traumático.
Terceiro ponto é que resiliência, como muitas outras habilidades, pode ser aprendida e desenvolvida ao longo da vida. Eis aqui um exercício que você pode fazer sozinho para desenvolver essa habilidade. Quando você estiver passando por um período de intenso estresse, sente-se confortavelmente em uma cadeira (ou no chão, se preferir) com a coluna ereta e observe alguns de seus pensamentos de forma intencional. Observe que tipo de mensagens você está enviando para si mesma durante o período de tensão… Não consegue lidar com isso? Está com medo? Acha que não vai aguentar? E como você se vê resolvendo esse problema? É insolúvel? A solução que você encontrou é a mesma que você implementa sempre? Ou você consegue pensar em uma nova saída? Ao fazer isso, você se torna consciente de seus pensamentos limitantes e exercita sua capacidade de encontrar novas soluções para seus problemas, fortalecendo sua habilidade de voltar a um estado calmo e centrado como o que você vivenciava antes da questão aparecer.
É impossível não termos problemas e períodos de estresse, mas é possível sim nos recuperarmos cada vez mais rápido das intempéries da vida, reconhecendo nosso estado interior naquele momento e tornando nosso diálogo interno consciente para que passemos a enviar mensagens cada vez mais positivas para nossa mente e corpo.

Sobre o autor Sara Matos

Psicoterapeuta e empreendedora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s